25.1.10

Porque amo a vida

Um dia, uma experiente psiquiatra encontrou uma pessoa que lhe pareceu excepcionalmente saudável e equilibrada. Ansiosa, e estafada de neuroses e psicoses, perguntou-lhe: «Como era a sua mãe?» Em vez das respostas mais comuns - «A minha mãe era uma pessoa muito...», ou «A minha mãe amava-me muito, mas...», «A minha mãe fez tudo por mim...» - a psiquiatra ouviu: «A minha mãe amava a vida»
- Não há famílias perfeitas -
Marta Gautier
No meio de tantas dúvidas que me costumam assolar, ao ler isto sorri, abracei-me por dentro e pensei: Talvez estejas a fazer um bom caminho...

2 comentários:

  1. Que momento bonito minha querida M.
    Tão simples. Tão grandioso e Quente.

    Estou certa que estás no teu caminho e que é um BOOOM caminho. Sinto-o.

    Um beijo meu e que tenhas uma semana fantástica.

    ResponderEliminar
  2. O momento foi criado pelas palavras mágicas da Marta. Eu apenas tive esperança de me rever muito nele.

    Beijo com o Sol que a esta hora já brilha por outros lugares.

    ResponderEliminar